Números do Setor de Venture Capital e Private Equity
null

Sobre a Indústria Brasileira de VC&PE

As oportunidades de Private Equity e Venture Capital no Brasil têm ganhado impulso desde 2011. O dinamismo do segmento está relacionado ao crescente volume de capital investido no país. O investimento no setor aumentou significativamente em um período de 9 anos, assim como os dividendos brutos pagos aos investidores, de acordo com a ABVCAP, a Associação Brasileira de Private Equity e Venture Capital. Desde 2009, uma iniciativa conjunta da ABVCAP e da Apex-Brasil conecta investidores internacionais a gestores de fundos e empresas brasileiras.

  • O Brasil possui mais de 220 Gestores de Fundos de Investimento ativos;
  • Entre 2016 e 2021, o Brasil produziu 18 unicórnios;
  • Há mais de 13 mil Startups - excelentes oportunidades em finanças, saúde, manufatura avançada e agtech;
  • Em 2018, o ticket médio de private equity de uma empresa era de R$ 95 milhões, enquanto o ticket médio de venture capital era de R$ 50 milhões;
  • 66% do capital investido na indústria brasileira de PE e VC em 2018 vem de investidores internacionais, um aumento de 24,52% considerando a participação de 2016 e 34,69% considerando os níveis de 2012;
  • As atividades de saídas também vêm crescendo e comprovando a maturidade do setor. Enquanto 2011 registrou R$ 3,6 bilhões em saídas, em 2018 esse montante atingiu R$ 13,7 bilhões representando um aumento de 280% que vem crescendo ao longo dos anos.

Considerando o desempenho do capital de risco regional na América Latina por gestores, anjos e empresas, o Brasil representou 50,5% dos negócios realizados na região, seguido pelo México com 22,7% e Chile com 9,1%. De acordo com a Associação de Capital de Risco da América Latina (LAVCA) foram investidos US$ 2,49 bilhões em 222 negócios no lado brasileiro de capital de risco da indústria em 2018 este montante foi de US$ 1,3 bilhão representando um aumento de 91,53%. Em relação aos setores investidos por montante, a LAVCA reporta Fintechs, Logistics e Proptechs como os três principais setores. Considerando o número de negócios, Fintechs, HealTechs e Proptechs são os de melhor desempenho, seguidos por SAAS, e-commerce e Edtechs. Confira abaixo alguns números da região:

A Associação Brasileira de Private Equity & Venture Capital (ABVCAP) oferece uma perspectiva diferente da LAVCA. Seus dados são voltados apenas para a atividade de gestores de fundos. Embora o tíquete médio do capital privado tenha diminuído para tamanhos menores em termos de valor investido, o tíquete médio do capital de risco continua o oposto e aumenta ao longo dos anos. Considerando o número de negócios, a atividade de private equity está aumentando ligeiramente de 2015 a 2018, mas os negócios de capital de risco estão progredindo mais rápido.

null

Confira alguns Destaques Brasileiros de VC&PE

Em suas ações para o setor de Private Equity e Venture Capital, a Apex-Brasil facilita a conexão entre investidores internacionais (LPs) e gestores locais (GPs) para investimento em fundos brasileiros e empresas inovadoras. A Agência também apoia empresas e seus investimentos em venture capital por meio de atividades de matchmaking e projetos especiais. Sobre a atividade de corporate venturing, grande tendência no Brasil, pelo menos 150 corporações brasileiras desempenham um papel cada vez mais importante ao apoiar empreendedores, proporcionar liquidez e promover negócios no segmento de alta tecnologia.

Desde 2010, a Apex-Brasil e a ABVCAP facilitaram a captação de mais de US$ 18 bilhões em recursos por gestores locais de fundos de investimento, além de mais de US$ 330 milhões de fundos de corporate venturing (CVCs) internacionais em negócios diretos e fundos. Confira alguns números da indústria regional e local:

null

Sobre Startups Brasileiras

Já em 2011, ano em que o primeiro mapeamento de startups foi entregue ao mercado pela Associação Brasileira de Startups (ABSTartups), havia 4.000 empresas no Brasil. A comunidade não parou de crescer ao longo dos anos, chegando a 10.000 empresas em 2017. Agora, o número de novas empresas continua crescendo além de 13.000, representando uma evolução de 225% em 8 anos. Mais recentemente, muitos mapeamentos focados na indústria foram produzidos e publicados, especialmente voltados para setores promissores como Agritechs, Fintechs, Mobility, Cosntrutechs e outros. Considerando a área mapeada de interesse, as empresas estão oferecendo soluções para estes 5 campos TOP: EdTechs, FinTechs, HealthTechs, AgriTechs e RetailTechs. Uma vez considerada o TOP 10 das comunidades onde essas startups estão sediadas, a cidade de São Paulo ocupa a 1ª posição com 45% das empresas, seguida por Rio de Janeiro (12%), Belo Horizonte (10%), Porto Alegre (9%) e Curitiba ( 6%). Outras cidades classificadas apresentam participações que variam de 4% a 3% e são Florianópolis, Brasília, Salvador, Recife e Fortaleza.

Fale com nossa equipe

Podemos ajudar?

Podemos ajudar?

Fale conosco e receba informações customizadas para o seu negócio.

null

Desde 2010, a Apex-Brasil tem auxiliado investidores internacionais a investir mais de U$ 18 bilhões em fundos e empresas brasileiras.

A Agência trabalha em estreita colaboração com mais de 300 investidores financeiros, monitorando suas teses de investimento e proporcionando oportunidades de matchmaking através de seus projetos e de sua programação anual de ações promocionais. Além de conectar investidores financeiros a oportunidades de investimento, mais a Apex-Brasil recentemente passou a promover investimentos no desenvolvimento de novas tecnologias e em inovação. Nossos novos serviços e ferramentas incentivam parcerias tecnológicas, programas de softlanding e apoiam outras atividades internacionais de P,D&I na expansão de suas operações no Brasil.